Na luta pelo GDF, Ibaneis desacelera e Rollemberg corre contra o tempo

Candidato à reeleição, governador mantém postura combativa para tentar reverter a ampla vantagem do rival, apontada nas pesquisas.

A dois dias do segundo turno das eleições de 2018, os candidatos ao Governo do Distrito Federal seguem apostando em estratégias opostas. Enquanto Rodrigo Rollemberg (PSB) tenta transpor o abismo das intenções de voto em relação ao concorrente, mostrado nas últimas pesquisas, Ibaneis Rocha (MDB) aproveita a distância do adversário para manter o pé no freio nas agendas de campanha.

No levantamento Datafolha divulgado na noite de quinta-feira (25/10), o governador apareceu com 26% da preferência dos eleitores contra 74% do ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional do Distrito Federal (OAB-DF). Com o objetivo de reverter o atual cenário, Rollemberg vai dar prosseguimento à postura combativa, de apontar aliados de Ibaneis envolvidos em supostos esquemas de corrupção.

Rollemberg também tenta investir na imagem de governador do povo. A ideia é conquistar os votos da população carente, pois, no primeiro turno, o atual chefe do Executivo local só teve votação maior do que Ibaneis nas asas Sul e Norte, áreas nobres da capital.

“Vamos manter a estratégia de falar a verdade, de que é possível governar sem corrupção. Além disso, vamos dar ênfase nas 50 mil moradias a serem construídas; no pagamento do aluguel social; e na expansão de 25 mil vagas em creches para crianças de 0 a 5 anos”, destacou Gabriel Garcia, coordenador de comunicação da campanha do socialista.

Por outro lado, os próximos dias serão menos intensos para Ibaneis. Com ampla vantagem projetada nas sondagens, o advogado manterá conduta de agradecimento pelos votos recebidos no primeiro turno.

O emedebista optou por desacelerar na reta final. Sinal claro da decisão foram os sucessivos compromissos desmarcados desde domingo (21). A última agenda com mudanças de plano foi em relação ao debate que seria realizado pela TV Globo, na quinta (25). Embora tivesse confirmado presença, Ibaneis não foi e, conforme as regras da emissora, deu chance para seu adversário falar por 20 minutos.

“Ele está gripado desde o fim de semana e tossiu muito durante a noite de quarta [24]. Além disso, optou por não participar porque os debates saíram do ramo das propostas e se transformaram em uma chuva de ataques. Se não for para ser propositivo, ele não vai”, justificou a assessoria do postulante do MDB.

Regras e votação
Esta sexta-feira (26) marca o fim do programa eleitoral gratuito no rádio e na televisão. Os candidatos ao Palácio do Buriti manterão a mesma estratégia na última divulgação permitida por lei. As propagandas pagas em imprensa escrita também ficam proibidas depois dessa data.

No sábado (27), Rollemberg e Ibaneis ainda podem apostar em carros de som e alto-falantes das 8h às 22h. O governador deve manter o corpo a corpo. O advogado não definiu o que fazer, vai depender da recuperação da gripe. Os postulantes ao GDF ainda poderão entregar a eleitores materiais gráficos, fazer carreatas e caminhadas.

No domingo (28), Ibaneis votará às 10h e, em seguida, fará um peixe tambaqui para comer com a família. Por enquanto, não foi decidido onde o emedebista acompanhará a votação. No primeiro turno, o local escolhido foi o Clube dos Advogados de Brasília.

Rollemberg programou votar às 8h, mas não divulgou o lugar no qual acompanhará a apuração. No dia 7 de outubro, o governador ficou no apartamento da mãe, Dona Teresa Rollemberg, na Asa Sul.

A votação começa às 7h de domingo e vai até as 17h, no Distrito Federal. O resultado deve sair por volta das 19h, horário em que o brasiliense saberá quem vai ficar com a chave do Palácio do Buriti pelos próximos quatro anos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.