Governo do DF joga HMIB no mesmo caminho do Instituto do Hospital de Base

Em ano eleitoral, hospital passa por mudanças estruturais e novos cargos são criados

O Governo do Distrito Federal publicou no Diário Oficial desta quarta-feira (11), nova estrutura da Secretaria de Saúde do DF. Entre tantas mudanças, algo chama muito a atenção e preocupa servidores da pasta. Em pleno ano eleitoral, foram criados muitos cargos, novas coordenações e vários profissionais já foram nomeados.

Para o SindSaúde, isso pode ser o início de uma tragédia, já que é histórico desse governo, até com apontamentos da Justiça, o modus operandi do apadrinhamento em cargos públicos.

Mais preocupante ainda é o fato de o Hospital Materno Infantil (HMIB), que um dia já foi considerado unidade de referência no atendimento de saúde pública, estar caminhando pelos mesmos passos do Hospital de Base, que se tornou um instituto classificado como “Serviço Social Autônomo”. Para os servidores, de autônomo o Base não tem nada.

HMIB

A publicação do DODF desta quarta informa que o “Hospital Materno Infantil de Brasília torna-se Unidade de Referência Distrital” e faz nomeações para a “Diretoria do Hospital Materno Infantil de Brasília”. Na prática, o HMIB, com a classificação de Unidade de Referência, não estará mais ligado a qualquer regional de Saúde do DF. Antes de se tornar instituto, essa era a identidade do Hospital de Base, totalmente desvinculado da estrutura da Saúde do DF. O resultado, todos nós estamos vendo todos os dias.

“Alguém tem dúvidas que esse é um passo do governo do DF para abandonar mais um hospital, como tem feito com o Base?”, questiona Marli Rodrigues.

Para a sindicalista, o governador Rollemberg traça o desenho de um ano ainda pior para a Saúde Pública no DF. “Cabide de emprego. Sucateamento dos bens públicos. Abandono de pacientes. Perseguição aos servidores. Esse é o legado do governo de Rollemberg, que enfiou na pasta da Saúde alguém que sequer sabe o que está fazendo lá. Inacreditável que o secretário Humberto Fonseca aceite tudo de maneira tão passiva. É tanta incompetência que sequer se preocupam com o próprio nome”, lamenta Marli.

Segundo a SES-DF, o Hmib passará a ter diretoria administrativa própria – antes esse papel era desempenhado pela Diretoria Administrativa da Superintendência da Região Centro Sul, que trata de todas as outras unidades que fazem parte da região. A partir de agora, o Hmib poderá cuidar da manutenção dos seus equipamentos, logística e gestão de pessoas.  A SES afirma que o quadro de pessoal não sofrerá alterações.

O Hmib também terá dotação orçamentária própria pelo Programa de Descentralização Progressiva de Ações em Saúde (PDPAS).

Fonte: SindSaúde

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.